Rua Apinagés, 1861, Sumaré – São Paulo/SP

Ana Cristina Abadde

Ana Cristina Abadde

Depoimento sobre minha vivência com meu Guru Lama Gangchen Rinpoche

 

Meu primeiro encontro com Lama Gangchen foi no ano de 2004 (mesmo já sonhado antes com ele sem conhecê-Lo), e desde esse momento tive a certeza da minha conexão com Ele! 

A Bel Cesar havia me convidado para atender minhas consultas de Astrologia e Tarô no seu novo espaço, Sede Vida de Clara Luz e havia poucos meses que eu estava lá quando recebemos a visita do Rinpoche trazendo as relíquias de Buddha pela segunda vez no Brasil. 

Assim que o Rinpoche entrou no pequeno gompa, da antiga sede do Centro de Dharma, senti uma emoção indescritível, no momento que Ele colocou as relíquias sobre a minha cabeça tive uma catarse, caí num choro convulsivo, impossível de controlar. Num certo momento, já com vergonha de tanto chorar sem conseguir parar, me dirigi à Bel e disse: “ Não consigo me controlar!” e ela me respondeu: “Mas não é para controlar mesmo!” 

Hoje entendo perfeitamente aquela emoção que não se consegue e nem se precisa “controlar”. Assim tive a certeza da minha forte conexão com este Ser de luz!

Naquela mesma vez Dele ao Brasil, fiz minha primeira iniciação do ChagWang NGalSo Reiki, a primeira que Ele deu, e quero falar muito sobre isso.

Que generosidade ímpar!!! O Lama Gangchen simplesmente passou a nos oferecer, em cada uma das Suas vindas esta iniciação, super poderosa de cura. 

Eu já era iniciada em Reiki desde 1998, e já era mestre, mas foi impressionante o poder de cura desta iniciação !! Eu tenho muitos casos de cura, tanto como voluntária do Centro de Dharma, primeiramente coordenado pela Karin, como nos meus atendimentos pessoais. 

O grupo era tão forte, e a energia tão iluminada, e por uma série de fatores o Rinpoche nos pediu para que atendêssemos em outro local. A partir de então, em 2008, já com a coordenação do Claudio Pineda, começamos a atender diariamente, com escala de horários numa clínica em Perdizes.

Em 2010, passamos a atender num novo Centro Sherab Guiatso, coordenado pela Vera Marcondes, a pedido do Lama Gangchen. Lá, não só eu atendia o Reiki como voluntária, mas também pude ajudar ao Rinpoche atendendo as minhas consultas e oferecendo parte da renda ao Centro. Tudo isso até que saímos de lá, e voltamos para o Centro de Dharma, já na nova sede, em um espaço separado do gompa, sob a coordenação da Clarisse Saroni.

Tenho profunda gratidão por esta bênção de cura, cura NgalSo que o Lama Gangchen nos passou como um ensinamento mais profundo – transformar o negativo em positivo!

Assim fui conduzindo minha vida, meu trabalho, e meus atendimentos, já então somente pessoais, pois não tinha mais disponibilidade de trabalhar no grupo de voluntários.

O Amor e a Generosidade do Lama Gangchen me curou em cada uma de Suas visitas. Eu lembro que em uma visita na clínica em Perdizes, quando fui cumprimenta-Lo, eu não estava bem emocionalmente e Ele me abraçou e ficou me abraçando num forte abraço acolhedor e disse para ir falar com Ele em particular em um outro dia, sem que eu dissesse nada. No dia em que fui na casa da Claudia Proushan, Ele começou a ler as rezas, foi tudo muito forte, saí de lá completamente transformada.

Voltando um pouco no tempo, no ano de 2006, com apenas 2 anos de contato com o Rinpoche eu decidi viajar com  Ele. Kathmandu e depois Tibet! Antes passei em Albagnano.

Que aprendizado!! Eu ainda era uma criança engatinhando querendo aprender e conhecer, mas cada experiência me trouxe na prática a crença de histórias de divindades, etc, que me transformaram, e, como eu dizia na ocasião: “Nunca fui tão feliz na minha vida como naquela viagem!”

Lama Gangchen me fez buscar ser uma pessoa melhor, e eu sempre tive bem consciente sobre Seus ensinamentos, mesmo escorregando, errando, eu caía na real,  voltava em busca de exercer Seus ensinamentos de equanimidade, de compaixão.

Teve uma fase que tive muita aversão a uma pessoa, sofri alguns anos com essa raiva e aversão e ir a Borobudur com o Rinpoche consegui a cura daquele sentimento negativo e o perdão. E aquela aversão e raiva deixou de habitar meu coração. Assim tenho procurado viver em várias situações que me trazem desconforto ou mesmo raiva, faço mantras, o que mais faço é o Manjushri Preto, e consigo que a energia negativa se transforme. 

Eu tenho muitas outras histórias para contar, todo apoio e acolhimento que Ele deu ao meu trabalho, com astrologia, constelação Astrológia  que Ele até me pedia para levar ao Centro de Dharma para contribuir com o centro, mas são tantas histórias e tantos bons momentos, que fica difícil lembrar de cada coisa para escrever agora.

Só tenho a agradecer o mérito que tive por ter encontrado meu Guru nesta vida, e certamente nas outras próximas! Seu amor, Sua generosidade, Sua preocupação com cada pessoa, Seus cuidados com cada um como uma mãe que cuida dos seus filhos. Sua alegria contagiante em seu sorriso!!!!!  Sofro com o apego afetivo e tenho sofrido por Ele agora em não se encontrar mais no seu corpo físico, mas sinto sua presença mais próxima, dentro no meu coração!

Espero ainda estar viva para poder olhar nos olhos da pessoa de Sua nova encarnação, e reconhecer Seu olhar num reencontro eterno!!!

  I Love you Lama Gagchen, Now and Forever!!!

Ana Cristina Abbade – astrology woman ( como ele dizia) rsrs

 

X